Voltar à página principal

 

 

 

LINGUÍSTICA

 

Atividades no estudo da língua.

Ver no fim desta página o Critério seguido pelo Autor)

 

TRABALHOS NA INTERNET:

Lista integral e dúvidas nos termos do DT, comparados com A TLEBS

Problemas ortográficos (Problemas e posição do autor sobre o AO90). 
    Aquilo que de fundamental muda no novo Acordo. Argumentos a favor. Erros no texto do Novo acordo, etc.

Erros grosseiros de português e desvios na língua.
    
Lista breve de erros grosseiros que devem ser cuidadosamente evitados.

Diversos: Breve ensaio sobre o plágio 

 

PUBLICAÇÕES:

1.   Autor do livro «PRONTUÁRIO» Erros Corrigidos de Português», e. Texto Editores, obra que, com início de publicação em Agosto de 1994, já tem cinco edições. A 6.ª de Julho de 2012 inclui: Mais de 2000 erros corrigidos da língua portuguesa e sinopse de gramática em rodapés; dicionário resumido de estrangeirismos;  regras ortográficas pormenorizadas e explicadas do AO90; variantes brasileiras; reduções e estilística; vocabulário de dificuldades de dificuldades com quse 30 000 entradas; anexo com paradignas de verbos; anexo com o Dicionário Terminológico; • anexo com um estudo sobre o AO90, incluindo vocabulário específico.

2.   Coautor do livro «Grandes Dúvidas da Língua Portuguesa». Falar e Escrever sem Erros», de "A Esfera dos Livros" (vd. índice no "link" acima), sendo de sua responsabilidade:

    Parte II: Formas corretas e incorretas no uso prático da  Língua.

    Parte V: acordo ortográfico - Normas ortográficas comparadas.                  

3.  Autor do livro «Prontuário Fácil», da Texto.

4.   Autor do livro «Breviário de Língua Portuguesa» (decalque do «Prontuário Fácil») publicado com o jornal Correio da Manhã.  

 

Critério do Autor no estudo da Língua:

    O pensamento de Vasco Botelho de Amaral, saudoso fundador da Sociedade da Língua Portuguesa:

 

«Eu não mando na língua. (Nem ninguém manda.)

 A minha posição só me agrada seja a da tolerância.

Violência só para as violências.»

 

 

   A informática, com os computadores, essa impressionante ferramenta cerebral, marcará certamente o início duma nova era nas realizações humanas, como foi a era do cobre, do bronze e do ferro. No entanto, em certos casos, continua ainda de uma grande inflexibilidade e rigidez (por exemplo, desconhece e devolve uma mensagem eletrónica quando no endereço há um erro num simples carácter...).

    Ora a tolerância foi uma das maiores conquistas da mente humana. Nas máquinas, por exemplo, concluindo-se que é completamente impossível conseguir medidas exatas, aceita-se que estejam erradas dentro de certos limites (que poderão ser ínfimos, é certo, mas num intervalo admissível de erro). Pois, em tudo o mais, o sage, na sua arte de viver, estabelece também limites de tolerância, sem rigidez, com alguma flexibilidade

    Na língua, o erro grosseiro é inaceitável, mas a tolerância pode ir aumentando nos desvios de gravidade decrescente. Acontece mesmo que o cérebro humano corrige automaticamente o erro gramatical (ex.: de concordância) ou de lógica conceptual (ex.: "o barco no rio que se afundou") que permitam entender a mensagem, desculpando-o quando o atribui a uma gralha óbvia. Cérebro que, portanto, tem ainda um valor incomparavelmente superior aos processadores da informática. 

 

 

Voltar à página principal